terça-feira, 18 de setembro de 2012

CORAÇÃO CRETINO














Aquieta-se, coração cretino,
Que teima em querer um destino
Que não é nem meu, nem teu!

Aquieta-se, coração cretino.
Não me sejas assim mofino,
Porquanto meu sonho pereceu!

Aquieta-se, coração cretino,
Traiçoeiro, sorrateiro, ladino...
Comporta-te, pois és meu!

Aquieta-se, coração cretino.
Que este, que ainda vês menino,
Já, há muito tempo, envelheceu!

terça-feira, 4 de setembro de 2012

ENQUANTO A CIDADE DORME














Sempre há quem conforme,
Enquanto a cidade dorme.

Sempre há quem deforme,
Enquanto a cidade dorme.

Sempre há quem informe,
Enquanto a cidade dorme.

Sempre há quem reforme,
Enquanto a cidade dorme.

Sempre há quem transforme,
Enquanto a cidade dorme.

Enquanto a cidade dorme,
Nem toda a cidade dorme!