sábado, 17 de setembro de 2011

GUARDIÃO


O que oculto
No mais recôndito canto
Do meu coração
É o amor que me destes
Para em segredo guardar.
E em sigilo permanecerá,
Até o dia que permitas
Que eu, ao mundo, diga
Que tu me amas;
Ou até mais não haver
Como revelá-lo,
Pois, escondido,
Ele tenha afundado,
Junto com seu cofre,
Ao fundo do mar da morte!
Então, ele, para sempre,
Estará seguro;
E, eu, para a eternidade,
Terei o seu amor!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011