quarta-feira, 8 de junho de 2011

SODADE

Sodade,
Dô disgramada,
Qui fere qui nem ispinho.

Sodade,
Da cabôca amada,
Qui mi dexô sem carinho.

Apêa dos ombro meu,
Percura otros caminho!

Vadeia pra bem distante!
Arriba pra lá dos monte!

Ô sodade malajambrada,
Qui teima lembrá o onte!

Sodade,
Da cabôca amada,
Qui mi dexô sem carinho.

Sodade,
Dô disgramada,
Qui fere qui nem ispinho.

3 comentários:

Lilaks disse...

Em clima junino e bem popular, né moço? Quem quiser q se arvore a se encaixar nessa saudade...
Pra ocê intão:
"Sodade é uma dô que dá
Mas num é dô de si Vê
è vuntade de alembrá
Cum vuntade de isquecê"
Beijos

@der_werwolf disse...

AHAHAHH muito bom, parabéns :D

Lorena disse...

Adoro esse...