quinta-feira, 24 de março de 2011

DESEJO EM TONS DE CINZA

Não quero mais voltar a ser jovem!
Não quero voltar a ser jovem hoje!
Não me enquadraria na juventude!
Não saberia (pois nunca soube) ser banal.
Não me enturmaria; Não teria tribo.
Seria eu um solitário átomo desgarrado,
Sem conceber como virar matéria.
Não há em mim elétrons de bullying,
Prótons do mais vazio preconceito,
Nêutrons para neutralizar a razão.
Tampouco seria eu uma célula banal
A compor um corpo sem cabeça,
A sinopse do ridículo absoluto
De fazer sinapses homogêneas
E sem a menor chance do genial.
Isso que eu vejo, que ouço, que leio,
Me faz dispensar toda a vontade
Que me despertaram, lá um dia,
Dorian Gray, Peter Pan, Shangrilá!
Não quero a fonte de Ponce de Leon,
Não quero mais ser o highlander final.
Quero mais é buscar o que existe,
O que insiste e persiste em vingar
Em meio à força banal do banal sucesso,
À descartabilidade do imediatismo,
À essa busca de ser célebre por um célebre segundo.
Não! Não quero mais voltar a ser jovem!
Quero mais é buscar nessa juventude atual
Os poucos jovens que ainda podem salvar o mundo
Dessa pasmaceira vulgar e desinteressante.
Esta agora é a minha vontade mais sincera,
O meu desejo mais profundo!

segunda-feira, 21 de março de 2011

O MONSTRO IMPERIALISTA

A esquerda brasileira precisa perder esse complexo de coitadinho ameaçado e reformular seus discursos contra o monstro imperialista! Nossa esquerda sempre coloca o Brasil como o pobre coitado babaca que vai ser enganado pelo esperto interessado na nossa riqueza! Cada vez é uma ameaça nova (agora é o pré sal) para justificar o velho e ultrapassado discurso contra um inimigo que não existe! O maior monstro que o Brasil enfrenta está aqui dentro desde o período colonial, devora nossas riquezas e ninguém extermina: a corrupção! Nenhum dirigente mundial, por mais que se esforce, conseguirá usurpar os cofres públicos como os nossos próprios 'representantes' fazem! Eu adoraria ver um digno dirigente do MST, por exemplo, garantir que todos os assentamentos estão sendo usufruídos pelos legítimos donos! Não sou defensor da política externa dos EUA. Apenas não aceito que continuemos vendo o Brasil como sendo sempre o otário nas negociações. Essa síndrome de colônia extrativista trabalhando em prol do enriquecimento do colonizador já passou da hora de ser posta de lado! Ou a esquerda brasileira assume que já atingimos a maioridade e que é hora de parar de procurar culpados e trabalhar, ou cai no ridículo! Esta semana li e ouvi discursos que pareciam reeditados de 30 anos atrás! A coisa foi tão revivescente que até a UNE ressuscitou! Mas há muito tempo que eu não vejo uma posição da mesma UNE em relação ao sucateamento das universidades públicas brasileiras! Quem sabe mais umas duas ou três visitas do Obama e certas instituições relembram o significado de protestar e cumprem suas funções! Pronto! Opinei! Falei! Cansei! Parei!

sábado, 12 de março de 2011

MENINO SINGULAR

Menino, menino, menino!
Nem sabes o quão grande
És pra que eu queira te adotar.
Menino qu’eu conheço o rosto,
Mas não sei o cheiro e a voz.
Menino que eu leio e gosto.
De quem ouvi letra elogiada!
Chamado poeta pelo parceiro,
Que disse não serás, o és!
Menino que eu leio e admiro,
Que é singular além do nome.
Nome que confere a marca
De quem surge para marcar.
Nunca desassogues, menino,
Que o sossego é traiçoeiro
Pra quem se busca inteiro!
Vai e vai-te sem pudor.
Vai e erra um bom bocado,
E acerta noutros tantos.
Vai e cresce sendo menino.
Depois, menino crescido,
Senta-te aqui comigo,
Vamos conversar!
Tire esses sapatos,
Pegue uma almofada
E sinta-se em casa!
Pode demorar…

O FRUTO DA LUZ!

Gerar futuro no futuro?
Quem concebe tal concepção?
Foge isto ao raciocínio curto!
E se a ele foge, contigo parece!
Não cabes no curto. No fugaz!
És como as mechas douradas
Que emolduram este belo sorriso.
És baiana sem o ser! És o ser!
Aborígine loira? Quem imagina ser?
Menina, moleca, mulher, mãe! O ser!
E eu quero (exijo) ver esta barriga!
Quero a cada instante e mudança.
Quero e quero e quero querer!
Acompanhar este fruto de você!
Não por ser curioso! Não por banalidades!
Não por qualquer coisa menor
Que o amor de verdade!
Como uma raposa frente à criança,
Vens e cativas!
Então, querida, desenha, a mim,
Passo a passo, este carneiro!
Amo (não duvides),
A caixa em que ele se forma.
Desenha-me o teu carneiro!
Este que amaremos
Quando o deres forma!

SOLITÁRIO PROFISSIONAL


O exercício da solidão, ao contrário do que se possa pensar, exige muito mais preparo físico que psicológico.

O desgaste é, de fato, enorme! Tem que estar preparado para fazer todas as tarefas sem auxílio, ou não fazer tarefa nenhuma e pagar o preço de, por exemplo, não comer!

O preparo físico não é apenas aquele chamado atlético. Esse é secundário. É preparo orgânico, mesmo. Ter um corpo pronto pra lhe suportar!

Até se alcançar o equilíbrio da solitude as oscilações de humor, apetite e sono podem destruir um organismo sem preparo para sofrer contigo!

Por isso mesmo eu sempre digo, a quem pensa ser fácil ser como eu sou, aquele velho clichê: Não tente fazer isso em casa! Sou profissional!