terça-feira, 23 de novembro de 2010

IDADE

Embora tenha vivido ainda pouco diante dos meus desejos e anseios, por vezes sinto estar vivo a tempo demais, pelas dores que já senti.

Assim, vou-me, eu, a seguir, sem saber ao certo a minha idade. Se a da certidão, a do querer ou a do sofrer.

Talvez, por isso, às vezes tão velho, às vezes tão menino e, noutras, tão somente eu.

Um comentário:

Jane Di Lello disse...

Lindo Príncipe, com tão poucas palavras você consegue descrever uma das + dura realidade de nossos conflitos interiores.
Parabéns, amei ler seu pequeno trecho + tão profundo em sentimentos.
BeiJanes neste rico e querido coração.
Jane Di Lello.