segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O PAI (MÁRIO AUGUSTO VALLADARES SOUZA)

"Adeus Pai!
A Deus, Pai!

Ah! Deus Pai, receba com carinho este seu filho, meu pai.

Receba-o com o amor e unicidade que cada filho merece.

Quem é pai sabe, cada filho é único.

Não o deixe perdido neste novo e eterno lar.Leve-o para ver seus parentes terrenos.

Peça a minha vó Mariinha para acolhê-lo no colo e acarinhá-lo como o fez quando ele nasceu.

Aí pode ter festa? Acredito que sim.

Apesar dele ser meio arredio a festas, façam uma para recebê-lo

Convide todos os parentes e amigos que aí já habitam.

Tia Líbia, cuida dele como irmã mais velha, para que ele não tenha medo de fantasmas como tinha quando criança pequena dormindo sozinho no corredor.

Tio Moacy, ensinai-o as coisas da vida celestial, como ensinastes as coisas da vida terrena.

Meus queridos primos e primas que aí se encontram, Tio Mau chegou. Matem a saudade.

Aliás, não a matem. Deixem-na aqui conosco fazendo companhia à dor e ao vazio da sua ausência.

Assim como o amor cresce a cada dia, espero que a dor da perda vá diminuindo, pelo menos até ficar suportável.

O tempo dirá.

Pai, descanse em paz. Você merece.

Vou cuidar dos meus filhos agora.

Se eu conseguir ser para ele o pai que fostes para mim, terei cumprido com louvor esta missão de ser pai.

Segue este seu novo caminho.

Beijo. Até um dia".

Lindo texto escrito por meu irmão, MÁRIO AUGUSTO VALLADARES SOUZA, para o nosso pai, MAURÍCIO SANTOS SOUZA, e para o nosso Pai!

2 comentários:

maybe disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Marco Valladares disse...

Thank you very much for your comment!