quarta-feira, 5 de maio de 2010

ESTA MULHER

Seria, então, essa mulher,
Uma gueixa pós-moderna,
Serva e senhora numa só,
Fazendo, de mim, samurai
Dos seus desejos plenos;
Um shogun sem exército,
A defender o seu prazer?

Ou seria ela, tão sublime,
Uma entidade sensual,
Uma deusa malemolente,
Abrindo as portas do peji,
Entregando seus segredos
E, em gestos sagrados,
Acolhendo este iniciante?

Talvez, até, quem sabe,
Afrodite reencarnada,
Vendo, talvez, em mim,
Seu amante Anquises,
Mortal por ela sublimado,
A quem deixou, desejosa,
Desnudar-lhe os véus?

Quiçá, loucura do tempo,
Confundindo histórias,
Aniquilando minha razão!
Colhendo do meu passado
Um hoje de pura satisfação
E, do futuro, um anseio
De puro contentamento?

Quem é, afinal, esta mulher,
Que me acolhe nos braços,
Que me envolve nas pernas,
Que me faz transcender,
Que me desnorteia e guia,
Que me abarrota de amor?
Ah! Esta mulher é você!

Um comentário:

Lilaks disse...

Sabe q andei mesmo com saudades por esses tempos? Por isso vim aqui e,... eis que...olha só!!!