segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

2010

Um dia de 24 horas, como são todos os dias, chega ao fim e se transforma em outro dia, como em todos os dias. Mas este dia é o último de um ciclo que chamamos de mês. Então, temos um mês que se transforma em outro mês. Como em todos os doze meses do período que identificamos como ano. E este é o derradeiro dia deste período. Uma prática que ocorreu invariável nos últimos 365 dias. Um dia como todos os outros! Certo?

Errado!

Por uma inexplicável razão, todos os sonhos, vontades e projetos que foram se acumulando na rotina do passar desses 365 dias, tomam força em nossas mentes, almas e corações... E explodem! Explodem como fogos de artifício a anunciar uma nova era!

Então, damos de fazer planos, promessas, criar objetivos e retomar os que foram abandonados. Nos propomos a olhar ao outro com olhos mais benevolentes, a mudar nossos parâmetros de julgamento e, no auge da euforia que nos toma e domina, até mesmo a não julgar!

Mudamos a nossa rotina e não vamos dormir... Ficamos esperando o relógio, o mesmo relógio que nos acompanhou nos últimos 365 dias, marcar os últimos segundos deste dia. Engraçado como esta pequena fração de tempo à qual só damos importância nos eventos esportivos, o segundo, tão ignorado e desprezado por um ano inteiro (Você já marcou algum compromisso às 17h30min27seg? Ou colocou o despertador para as 5h45min32seg?) toma uma enorme proporção, se agiganta em milhões de vozes pelo mundo afora em ordem decrescente, partindo do dez...

E o ano muda! E nem tudo muda com ele! E nem todos os planos se concretizam! E nem todas as promessas se cumprem! E os erros se repetem...

Mas o que importa mesmo, é que, num ciclo muito maior que estes 365 passados, ou os 365 dias futuros, pelo menos por um segundo, nos permitimos exercitar o melhor de nossas intenções, podemos ver que existe em cada um de nós um ser humano melhor. E, concretizando-se ou não, esta coisa chamada esperança, nos alenta e revigora dentro de um ciclo mais importante que qualquer outro: aquele que dizemos VIDA!

Então, feliz hoje, feliz amanhã, feliz Ano Novo! Mas, principalmente, FELIZ VIDA! Que 2010 seja um belo pedaço dela!


O CARINHO DE UMA CERTA BRUXINHA!

"Desejo a você a alma do mundo, para que possa desfrutar da beleza serena de um coração; desejo a você o sorriso de uma criança, para que possa sentir a pureza da gratidão; desejo a você o carinho de uma mão estendida, para que sinta na alma o quanto é querido; desejo que a lua sorria pra você, transformando sua luz em algo esplendoroso; desejo que o sol seja quente, tão quente de ternura, que acalente seu coração; desejo que a chuva seja tão refrescante que encha de sorrisos a sua alma... Desejo que sinta o quanto meu carinho, admiração, ternura e doçura resplandece por você, simplesmente por você ser você... Obrigada por estar, ser, permanecer..."

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

UNIÃO

O amor
Abraça
O desejo
E, juntos,
Desafiam
O tempo;
Que cede
Ao prazer
Infinito!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

MIL E UMA NOITES!

حلم اللقاء بين الدلفين والفراشة أصبحت حقيقية


quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

NOSSOS MOMENTOS (Arnaldo Black / Carlos Rennó)

Sozinhos e juntos na dor e no prazer
Nas fases difíceis e nas fáceis de viver
Tivemos dia a dia tristezas e alegrias
Belezas, fantasias e tantas outras coisas em comum
Em busca dos sonhos de felicidade a dois
Por vezes estranhas à realidade a dois
Nós temos mais que um dia
Momentos de poesia tão claros e tão raros
Que neles nós vivemos algo incomum

Neles, tudo mais pára
Nada mais se compara
Ao par, ao casal que somos nós dois
Sem par, sem igual
Nossos momentos não têm antes nem depois

Sozinhos e juntos na dor e no prazer
Nas fases difíceis e nas fáceis de viver
Tenhamos outras vezes momentos como esses
Instantes transcendentes
Instantes em que somos como dois em um

Neles, tudo mais pára
Nada mais se compara
Ao par, ao casal que somos nós dois
Sem par, sem igual
Nossos momentos não têm antes nem depois