sábado, 11 de julho de 2009

DESAGRAVO AO DOMINGO

Tantos criticam o domingo...
Tantos o vêm apenas como
Um prenúncio da malquerida
E malvinda Segunda-feira
(Também injustiçada...).
Tantos o olham o último...
Como o último dia
De uma semana que se foi...
Um dia sem cor...
Ou com cor de melancolia...
E assim o domingo
Leva uma fama que não tem.
Transferem para o domingo
A solidão que é de cada um;
A desesperança egoísta;
A culpa que dele não é!
A ressaca de um sábado
De artificial alegria!
O domingo é o dia primeiro,
O recomeço, o reinício,
A oportunidade de refazer,
Retomar, recomeçar...
Dia de repouso e oração,
De buscar-se em si
(E, talvez, daí, vir o hábito
De dar a ele a nossa feição);
Esse é o verdadeiro domingo!
Assim, pois, honestamente,
Antes de dar ao domingo
O desânimo que de ti flui,
Busca nele, então, o reanimo
Que só o domingo possui!

Nenhum comentário: