sexta-feira, 3 de abril de 2009

FAXINA

Não escrevo para ser lido, muito menos apreciado; mas para expurgar-me de mim!


O que faço não é arte, é catarse; uma espécie de exorcismo dos meus anjos do mal e dos meus demônios benignos. Uma faxina geral!


Escrever é a minha garantia na opção pela sobrevivência!

2 comentários:

Elisa Barreto disse...

É... em certos momentos escrever é uma boa maneira de sobreviver!
Não sou boa em escrever poesias embora tenha feita uma meia dúzia delas durante toda da minha vida. Mas gosto de escrever o q penso e isso é uma maneira de soltar as bruxas, de sentir q estou viva e posso falar o q penso. É uma faxina também!
Abraços!!!

Ricardo Serra. disse...

Genial...me lembra muito Fernando Pessoa ao dizer:"Ser poeta é a minha meneira de estar só". Mas ao mesmo tempo não me lembra nada, e me faz parar diante do novo trazido em cada palavra, numa metaliguagem a linguagem é...nada..tudo...eu...vc...aparabéns!!!