sexta-feira, 3 de abril de 2009

FANTASMAS


No ensurdecedor silêncio das noites insones, só os meus fantasmas preenchem o vazio da quase solidão. Eles passaram uma temporada afastados e agora voltaram a me fazer companhia madrugada a dentro. Gosto dos que conversam comigo; divirto-me com os que dançam pela casa; mas, não há como negar, sinto uma certa antipatia pelos que permanecem quietos, silentes, com os olhos fixos em mim. Sei que não me farão qualquer mal, mas há muito não gosto mais do velho jogo de “pegar sério”. Muitas vezes ignoro-os e fico a dialogar com os que falam, ou a bailar com os que dançam. No entanto, quando os olhares estáticos incomodam demais, fito-os com a determinação dos famintos e entro no jogo para vencer.
Às vezes são horas sem piscar, olhando através daqueles olhos que me mostram a minha trajetória. Coisas que me alegram e que, também, me entristecem! Mas sei que é tudo para me distrair, para me trair, me fazer sorrir ou piscar. Não pisco! Lamento apenas por perder a companhia dos falantes e dos dançantes que, sem a minha atenção, se vão! Ao contrário desses jogadores impassíveis, que quanto menos atenção, mais permanecem!
E o jogo continua até a exaustão da noite, que se recolhe e dá lugar a mais um dia. Neste instante, eles param o jogo sem pedir licença e também se vão. Aí, não sei bem se por ter ficado tanto tempo sem piscar; se por tudo que me foi mostrado; as lágrimas brotam involuntárias e me lembram que, lá fora, há outro dia a percorrer, com sua rotina, suas regras, seus minutos invariáveis.
E eu, obedientemente, atendo ao que as lágrimas me dizem. Lavo o rosto, tomo banho, visto-me e abro a porta da rua. Lá fora, olho as pessoas que também saem de suas casas e sigo, imaginando se os seus fantasmas também as visitam nas madrugadas insones ou se escondem, perversos, no fundo dos seus corações!

Um comentário:

fabiana disse...

todos nós temos fantasmas... quem não os tem? Lágrimas, as vezes são fantasmas que me rondam como gurdião da noite quiçá da madrugada... mas,elas são isso sei, sei que são... e sei que os tenho então!