sexta-feira, 3 de abril de 2009

PROVINCIAL EXISTÊNCIA / PROVÍNCIA EXISTENCIAL


“Chove inconseqüente na província,
Vesperal de inverno”!
Os versos de Carlos Sampaio
Despencam sobre mim
Enquanto o temporal inunda
As velhas ruas da cidade.
Agora em casa (?),
Já não mais encharcado,
Tento acompanhar o ritmo
Do tamborilar das goteiras
Sobre o forro da sala;
Pequenas cascatas
Escorrem sobre o cal
Das paredes mortas.
As poças no tabuado bicolor
Dão à madeira um brilho
Há muito perdido no tempo.
Pelos vidros da janela
Os relâmpagos clareiam
A noite dos meus olhos.
Onde estão a cair os raios?
Onde estão a cair meus sonhos?
Que há por dentro das nuvens?
Que há por dentro de mim?
“Chove inconseqüente na província,
Vesperal de inverno”!

Nenhum comentário: