terça-feira, 31 de março de 2009

HABITANTES DAS SOMBRAS

Alguns guerreiros possuem a habilidade de um Samurai, a independência um Ronin e a determinação de um Ninja. No entanto, jamais alguém poderá dizer que conheceu alguém assim. Não por que eles não existam; mas porque nunca se deixarão ser vistos como tal. Eles poderão estar ao seu lado, fazer parte da sua vida e você nunca saberá da verdade. Eles apenas se permitem ver à luz, quando a suas realidades só surgem no oculto das sombras.



quarta-feira, 25 de março de 2009

MORFOGRAFIA

Dizem-me ser, eu, inspirado e talentoso.

De que me adiantam inspiração e talento,

Se não posso eu escrever como desejo?

Tenho, cá, teclas, lápis, caneta, papel...

Tenho noites insones e motivos mil...

Tenho as chances e grande lampejo...


Mas que tipo de talento é esse, o meu?

Que inspiração é essa que me vem?

E que serventia têm tais tormentas?

Trocaria, eu, hoje, qualquer escrito

Feito como todos os ditos escritores

São capazes de fazer em ferramentas...


Eu queria, então, escrever da forma exata

Que meu coração me pede para escrever...

Iluminar-se-ia, então, todo sonho em breu;

No mais belos de todos os meus escritos...

Queria escrever minh’alma na alma tua;

E grafar o teu corpo, com o corpo meu!

segunda-feira, 16 de março de 2009

O QUE HÁ DE SER!

Será que gira o girassol para melhor ver o Sol,

Ou para deixar-se ver melhor e pleno, por ele?


A saudade é tão grande pela ausência de alguém,

Ou pela força da sua eterna presença em nós?


E essa tristeza que muitas vezes aflora e sai,

Não é um espaço a mais para a alegria que virá?


Perguntas sem respostas imediatas prenunciam

Que, sim, haverá um futuro onde elas irão existir!

domingo, 8 de março de 2009

O BEM E O MAL (DANILO CAYMMI)


Eu guardo em mim
Dois corações
Um que é do mar
Um das paixões
Um canto doce
Um cheiro de temporal
Eu guardo em mim
Um deus, um louco, um santo
Um bem e um mal


Eu guardo em mim

Tantas canções
De tanto mar
Tantas manhãs
Encanto doce
O cheiro de um vendaval
Guardo em mim
O deus, o louco, o santo
O bem, o mal

Ouça a canção em: http://www.youtube.com/watch?v=03A2zvm6Bls

sábado, 7 de março de 2009

SEMI-HERMÉTICA DECLARAÇÃO

Assim como uma azeitona,

Equilibrada no nariz de uma foca,

Pode parecer um nada,

Se vista à distância

Da janela de um velho solar,

Também parece ínfimo

Um amor verdadeiro,

Se visto ao apartamento

De quem busca julgar

A pureza dos sentimentos.


Não julgar o que desconheço,

Não ser vilão no preconceito,

Não me restringir à praxe,

Não aviltar o que de mim difere.

Eis minha noção de liberdade!


Erra quem ama como sabe amar,

Ou quem espera do outro

Uma postura que não há?

Como reclamar do tomate, se, nele,

Não acho o sumo suculento do caqui?

É ele, e sempre será, tomate,

A me oferecer o que tomate tem.

Erra o tomate por ser somente tomate,

Ou erro eu quando nele busco

O prazer que só com o caqui vem?


Não cobrar de quem não possui,

Não querer mudar as naturezas,

Não te querer sendo do meu jeito,

Não imputar minhas expectativas.

Eis minha noção de respeito!


No mais, eu te amo!

domingo, 1 de março de 2009

ASSIM

Aquilo que existe
Por ser inevitável,
Incontrolável e
Incontestavelmente
Superior ao ser,
Independe de
Compreensão,
Aprovação ou
Clemência.
Existe por que,
Simplesmente,
Existe.