domingo, 9 de novembro de 2008

PRENDA


Nunca fiz gado de osso quando era piá

Nem queixada de ovelha para brincar.

Não furei nenhum cavalo com chilena

Para tirar talo por cerros e chapadões.


Tchê! Que não sou gaúcho, eu bem sei!

Mas dei de agora peleiar com o destino

E deixo o sonho me levar pelos pampas

Voando solto, como se ele fosse pingo.


Guapa com jeito de princesa, essa guria!

De fazer coisa matungona ter mais valor

Como os versos que aqui arrisco pra ela

Fingindo ser essa coisa sorra uma poesia!


E quem mais há de ficar assim solito

Se pelo menos uma vez, de relancina,

(Oigalê!) der de ver a beleza do repontar

E não retouçar com o sorrir dessa menina!


Escrita em 26/11/07 para Adriana 'Linduxa'.


2 comentários:

Juliana disse...

Que o sorriso encantador dessa guria permanece em nossas memórias e em nossos corações.Foi essa imagem que ela deixou para todos que tiveram a oportunidade de conhecê-la.
Adri,saudades eternas!!!

MqV disse...

Juliana, caso você leia isto, por favor, entre em contato!