sexta-feira, 20 de junho de 2008

VENDO NADA

A tarde está fria,
Anuncia uma noite
Gelada, solitária,
Imensa.
A mais longa das noites
Está para chegar,
Trazendo lembranças,
Dores e alegrias
Vividas a dois,
A milhões de carícias
Que se perderam
No caminho.
A noite não sabe
Onde guardou a
Lua cheia e o seu
Colar de estrelas.
A noite não sabe
Onde se esconde
O calor do sorriso
Que estou cego
De não ver.

(Do livro ‘O Histrião Arpista’)

Nenhum comentário: