terça-feira, 3 de junho de 2008

SUSSURROS

Jamais creia n’aquilo
Que a solidão, sorrateira,
Sopra-lhe aos ouvidos.
Prefira acreditar no que,
Quase sem querer,
Sussurras à solidão!

Nenhum comentário: