quinta-feira, 24 de abril de 2008

VERAZ (JANAINA PINTO)


Quando não se dorme, os fantasmas gritam e parece não haver o que os faça parar.

Temores vão e voltam na minha cabeça, trazendo medo dos dias que ainda não vivi.

E eu nem ao menos sei se é pior sentir saudade do desconhecido ou do passado, que agora se torna presente em meus devaneios.

Um dia ainda vou crescer e gritar mais alto que aqueles que supõem tentar me dominar. Libertar-me-ei da noite em que me afogo, lhes mostrarei o poder do meu sonho e a força da luz,que transformará minha hoje utopia em algo concreto e possível.

Sendo assim, passarei de mera utopista pra veraz.

Minha magia cairá sobre tuas almas, silenciando todas as suas vozes. Minha mente entrará em êxtase e expurgarei todos eles de mim.

Exausta pela batalha travada em meu interior adormecerei em novo dia.

Conheça a autora: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=15597577600316285402

Nenhum comentário: