quinta-feira, 24 de abril de 2008

RISCOS

Letras em um papel,
Bonitas ou feias,
Grandes ou pequenas,
São riscos.

Desenhos bem traçados
Ou esboços mal feitos,
Com ou sem talento,
São riscos.

Os rios pelos vales,
Correndo para o mar
Ou afluindo em outro,
São riscos.

Todos os caminhos,
Estradas ou picadas,
Pavimentados ou não,
São riscos.

E todas as linhas
Nas palmas das mãos,
Prevendo nosso futuro,
São riscos.

São riscos a correr!
São riscos a correr!

VERAZ (JANAINA PINTO)


Quando não se dorme, os fantasmas gritam e parece não haver o que os faça parar.

Temores vão e voltam na minha cabeça, trazendo medo dos dias que ainda não vivi.

E eu nem ao menos sei se é pior sentir saudade do desconhecido ou do passado, que agora se torna presente em meus devaneios.

Um dia ainda vou crescer e gritar mais alto que aqueles que supõem tentar me dominar. Libertar-me-ei da noite em que me afogo, lhes mostrarei o poder do meu sonho e a força da luz,que transformará minha hoje utopia em algo concreto e possível.

Sendo assim, passarei de mera utopista pra veraz.

Minha magia cairá sobre tuas almas, silenciando todas as suas vozes. Minha mente entrará em êxtase e expurgarei todos eles de mim.

Exausta pela batalha travada em meu interior adormecerei em novo dia.

Conheça a autora: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=15597577600316285402

quinta-feira, 17 de abril de 2008

HERRAR É UMANO!


Diz o adágio popular: "Errar é humano, mas persistir no erro é burrice"!

Então só resta uma opção aos humanos inteligentes: Cometer erros novos!!!

Vive l'originalité!!!

terça-feira, 8 de abril de 2008

ENTÃO, VOU ESCREVENDO COISAS...

Talvez a razão para a minha insônia esteja nos gritos dilacerantes que os silêncios guardados em mim insistem em projetar, durante as madrugadas, por tudo que costumo acreditar ser o meu eu. Mas não tenho a mínima idéia de como silenciá-los ou de como me fazer falar dos meus ocultos...

sexta-feira, 4 de abril de 2008

NUNCA FUI TÃO BEM ELOGIADO!

E tudo isso por causa de um "Grão de Areia"!
Imaginem se fosse por uma praia inteira!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

CONSEQÜENTEMENTE...


Quando se tem insônia, não se dorme direito, nem se acorda direito. Conseqüentemente, não se vive direito. Tudo fica reduzido a um esboço mal feito do que deveria ser. Apenas se finge fazer o que realmente deveria estar sendo feito. Isso quando se consegue fingir direito. E como se finge direito sem ter dormido ou acordado direito? Afinal, quando se tem insônia, não se dorme direito, nem se acorda direito. Conseqüentemente, não se vive direito. Tudo fica reduzido a um esboço mal feito do que deveria ser. Apenas se finge fazer o que realmente deveria estar sendo feito. Isso quando se consegue fingir direito...