quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

FOLHAS

Se tudo que enxergo
Ao olhar uma folha
De papel em branco
Fosse passível de ser,
De forma coerente,
Transformado em versos,
Criaria eu uma obra
Fecunda, infinita...
Mas as florestas...
Ah! Estas, lamento,
Pereceriam de vez
Ante tão profícua
E voraz produção.
Mas, felizmente,
Minha incapacidade
Faz-me ecológico.

Nenhum comentário: