quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

2004 - O ANO DA PHŒNIX - NOVO PONTO DE PARTIDA!

DIVAGAR DEVAGAR

- A solidão sempre foi uma boa amiga. Visita-me muitas vezes, mas sabe respeitar quando quero estar só. (03-04/12/2004)
- Amar dói bastante. Não amar dói mais ainda. Então, amemos! (03-04/12/2004)
- O hoje nem sempre será o ontem do amanhã. Então, viva o hoje. Viva! (03-04/12/2004)
- Será que eu vou gostar de mim no dia em que conseguir me conhecer? (03-04/12/2004)
- Nem sempre as coisas são o que parecem ser. Nem sempre que parecem ser, as coisas o são. Nem sempre são, o que as coisas parecem ser? (03-04/12/2004)
- Alguns duvidam da existência de Deus. Outros, negam. Acho ótimo levantarem estas questões, pois o que não é debatido é esquecido. (03-04/12/2004)
- A minha questão com as religiões formais é o fato de todas falarem do mesmo Deus e não serem uma só. (03-04/12/2004)
- Prefiro tomar ré médio a sentir dó de mi. (03-04/12/2004)
- Eu sou tudo que, um dia, todos saberão que nunca fui. (03-04/12/2004)
- O que realmente importa: O destino, o caminho ou o caminhar? (03-04/12/2004)
- Existe coisa mais estanha do que a morte: a vida. (03-04/12/2004)
- Vida após a morte é algo incerto. Morte, após a vida, é “batata”. (03-04/12/2004)
- Não levem tudo que eu escrevo a sério. Apenas o que vocês não entenderem. (03-04/12/2004)
- Dizem que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança. Quando me fez, ou estava num tremendo mau humor ou num bom humor terrível! (03-04/12/2004)
- Sou doador. Só não sei se vão poder aproveitar grande coisa! (03-04/12/2004)
- No meu epitáfio escrevam apenas: Sejam felizes! (03-04/12/2004)
- Brinco com as coisas sérias porque me faz bem. O chato é que, muitas vezes, acabo levando as brincadeiras a sério. Aí, danou-se! (03-04/12/2004)
- Se na próxima encarnação eu vier pulga, vou me divertir pra cachorro! (03-04/12/2004)
- O pecado e o Estado são as mais incríveis criações do homem. Duas coisas que ele criou para sentir o gostinho da transgressão! (03-04/12/2004)
- Se você não souber rezar, cante. Se souber, cante também! Música é a voz de Deus. (03-04/12/2004)
- Toda verdade tem sua dose de mentira. E vice-versa. (03/04 - 12 - 2004)
- Às vezes, muitas vezes, me sinto sozinho, tão sozinho, que dá vontade de pedir aos céus para permanecer acordado. Mas de que vai adiantar não dormir e sonhar se, estando acordado, vou estar, ainda, sozinho? (03-04/12/2004)
- Às vezes, muitas vezes, me sinto sozinho. O jeito é acostumar! (03-04/12/2004)
- Noite, oh noite; tu que fostes por toda a vida o meu afago, porque, tão de repente transformaste-se em meu açoite? (03-04/12/2004)
- Eu só queria ser feliz. Agora, me bastava um pouco de paz. Tentei morrer e não morri. Deve haver uma razão para ter permanecido vivo; não deve ser só para sofrer deste jeito. Preciso de uma luz, por menor que seja, que me clareie os pensamentos, que afaste esta sombra que, por vezes, me faz olhar o fim como solução. Sei que tenho muitas razões para dar continuidade à benção de estar vivo, mas, às vezes fraquejo. Travo, hoje, uma luta ferrenha com a dama da foice. Por hoje, acredito ter vencido. Mas, e amanhã? Não é falta de fé em Deus, não é falta de amor aos que me querem bem. É um impulso insano, violento, irracional. Não são todos os dias assim. Mas dias como o de hoje são, para mim, uma batalha que me exaure, me fragiliza demais. Mas, com o amor dos meus e a graça de Deus, eu hei de vencer. Mas ainda choro demais... (06-07/12/2004)
- Se arrependimento matasse o erro, o perdão ficaria desempregado? (06-07/12/2004)
- O brasileiro nunca vai encontrar a sua identidade enquanto procurá-la na carteira. (07-08/12/2004)
- Será possível comprar a linha do horizonte num ar marinho? (07-08/12/2004)
- Era filatelista, mas detestava sê-lo. (07-08/12/2004)
- Corro riscos sublinhando as palavras. (07-08/12/2004)
- Passamos uma vida inteira estudando para descobrir que não sabemos nada. (07-08/12/2004)
- O trabalho enobrece o homem. O que o empobrece é o salário. (07-08/12/2004)
- Pode até parecer viadagem, mas entre tantas noites com a insônia, eu preferia umas poucas nos braços de Morfeu. (08-09/12/2004)
- Já estou sem paciência comigo! Eu apareço em todos os lugares para onde vou. Que saco! (08-09/12/2004)
- Cada um tem uma cruz para carregar. Até aí, tudo bem. Mas será que dava, pelo menos, para alguém me dizer para onde é que eu levo a minha? (08-09/12/2004)
- Tem momentos em que eu gostaria de ter alguém para ficar conversando fiado, falando “abobrinhas” por horas a fio. O problema é que, nestes momentos, todo mundo que eu conheço já está dormindo. Acho que nasci no fuso horário invertido! (08-09/12/2004)
- Tenho passado tanto tempo solitário que corre o risco d’eu achar que o espelho é uma multidão! (08-09/12/2004)
- Do jeito que as coisas vão, o meu anjo da guarda vai ter uma estafa a qualquer momento! (08-09/12/2004
- (. . . - - - . . .) Quem entender, seja breve. (08-09/12/2004)
- Toda vez que eu tento falar ou escrever sobre o que estou pensando, acabo escrevendo ou falando o que eu entendi do pensamento; nunca o pensado. (29-30/12/2004)
- As crianças são maravilhosas! Mas seria mais fácil criá-las se viessem com manual e botão de desligar. (29-30/12/2004)
- A pior coisa que um homem pode fazer ao relacionar-se com uma mulher é tentar entendê-la. E a melhor coisa que ele pode fazer é não tentar se explicar. (29-30/12/2004)
- Acredito em tudo! No entanto, isto não me impede de duvidar das minhas crenças. (29-30/12/2004)
- A pior coisa que pode acontecer a um artista é produzir sua obra prima. O futuro fica completamente banal. (29-30/12/2004)
- Não sou artista. Apenas dou formas aos meus devaneios; seja escrevendo ou desenhando. Eles sim, são artistas admiráveis. (29-30/12/2004)
- A arte não está no que o artista produz. Ela reside nos sentidos de quem a observa. Sem o observador não há arte nem artista. (29-30/12/2004)
- Bata na porta antes de entrar; não bata a porta ao sair. Enquanto estiver aqui, esqueça a porta. (29-30/12/2004)
- De médico e de louco, cada um tem um. Pouco! (29-30/12/2004)
- Nunca entendi muros de cemitério e muito menos os portões. Se quem está dentro não pode sair e quem está fora não quer entrar, pra quê muros e portões? (29-30/12/2004)
- Não leve a vida a sério. Com certeza ela também não lhe leva! (29-30/12/2004)
- Cuidado, companheiro! Cuidado com a paixão! Mais cruel que o amor, ela lhe invade com a sutileza de uma pena suspensa no ar para depois lhe esmagar com a fúria de um estouro numa manada de elefantes. O que sobra, jamais será você de novo! (03-04/01/2004)
- Toda pessoa é uma ilha. Umas têm pontes, outras não. As que têm, falam. As que não têm, pensam, pensam e alargam, cada vez mais, o oceano. Estou ilhado! (03-04/01/2004)
- Nada é mais bonito que o sorriso de uma criança. Nada é mais triste do que ser obrigado a ter saudade das suas. (03-04/01/2004)
- Tenho fumado demais. Tenho pensado demais. Tenho chorado demais. E eu que pensei que não tinha nada! (03-04/01/2004)
- Nunca consigo dormir cedo. Às vezes, consigo acordar cedo. Sempre acho bom pensar que antes tarde do que nunca, mas morro de sono durante o dia. (03-04/01/2004)
- O ‘nunca’ é o ‘sempre’ de mau-humor. (03-04/01/2004)
- Sob pressão, não consigo produzir direito. Sob depressão, só consigo produzir sob pressão. Aí, já viu... (03-04/01/2004)
- No Vietnã, de hippie a R.I.P. bastava um pequeno vacilo! Que desperdício de jovens! E até hoje... (03-04/01/2004)
- Vou tomar uma decisão definitiva! Mas não hoje... (03-04/01/2004)
- 3,1416 + 365 dias = instrumento de teclas percussivas. (03-04/01/2004)
- Tem momentos em que me bastava que alguém me oferecesse colo, cafuné e silêncio. Mas, se eu pedir, quebra o encanto. Então, continuo esperando. (03-04/01/2004)
- Musica! A melhor invenção de Deus. Só ela para fazer uma pessoa sentir-se viva. Viva a música! (03-04/01/2004)
- Já tive um monte de coisas que não tenho mais. Pelo menos, hoje, já não me fazem falta. Amanhã, não sei! (03-04/01/2004)
- Eu sempre sonho sonhos parecidos, quase recorrentes. Neles, tenho consciência de tudo que me cerca, de tudo que ocorre e, até mesmo, sei que é um sonho. Quando acordo, a certeza se esvai... (03-04/01/2004)
- Resolvi que, de agora em diante, eu mesmo tomo as minhas indecisões! (09/01/2004)
- Não tenho nada para esconder de ninguém. Tampouco me sinto obrigado a revelar nada! (09/01/2004)
- Não existe droga mais letal que a lucidez. Qualquer uso é overdose fatal. Mantenha-se vivo; mantenha-se louco! (10/02/2004)
- Passo noites em claro. Talvez seja para compensar a escuridão dos meus dias! (10/02/2004)
- Estou tão chato que vou acabar cabendo em um envelope. Caso isto ocorra, sele-o e despache pra longe de mim. (10/02/2004)
- O mais engraçado é ter consciência que a maioria dos meus fantasmas estão vivos! (10/02/2004)
- São tantos pensamentos que os meus neurônios já não conseguem fazer sinapse; fazem sinopse! (11/02/2004)
- Finalmente descobri que os meus fracassos amorosos não se deviam ao fato de querer ter alguém, mas de querer ser de alguém! (11/02/2004)
- Desafio o perigo diariamente. É sempre aconselhável conhecer de perto quem, um dia, pode vir a lhe eliminar. O inimigo desprezado desonra a vitória e torna toda luta vã! (11/02/2004)

Nenhum comentário: