terça-feira, 16 de outubro de 2007

TIC-TAC

O relógio parado na parede
Insiste que o tempo não para
E faz um tic-tac irritantemente
Parecido com o bater do meu coração.

E ele bombeia, involuntário...

E o pulso pulsa, involuntário...

A parede parada...
O tempo passando...
O tic-tac do relógio...
O pulso que pulsa...
O bombear do coração...

E eu aqui, parado,
Olhando a parede
Em estática compulsão...

Tic-tac, tic-tac, tic-tac, tic-tac…

O relógio está inteiro.
Em mim, falta um ponteiro!

Um comentário:

espelhoabstrato disse...

O relógio está inteiro.
Em mim, falta um ponteiro!

!!
Não só em você, infelizmente.
Mas... quem precisa de ponteiros com uma mente que se lhe equipare?

^^Beijos tic-táticos!