quinta-feira, 22 de março de 2007

GRAVIDADE


A chuva escorre
No vidro da janela.
Escorre rapidamente!
O vidro também
Escorre na janela.
Só que lentamente!
Umas vezes sou chuva;
Noutras sou vidro.
Conteúdo e continente,
Deixo escorrer de mim
Os devaneios da mente.
Gotas ou vidro; prismas
Que refratam cores
Ocultas na antiescuridão!
Arco-íris de mim flutua,
Enquanto escorro,
Lento ou rápido;
Gradativamente!